Tags

, , , ,

Foi publicada neste sábado uma notícia sobre a Maria Amora no site da Agência Sebrae de Notícias, pelo jornalista Fernando Dantas.

Confiram abaixo e no site (clique aqui!).

“Damas de honra conquistam status de noivas

Empresa goiana oferece serviço exclusivo para damas de honra, personagens tradicionais nas cerimônias de casamento

Fotos: Sílvio Simões

Em um casamento a noiva é o centro das atenções, mas as tradicionais damas de honra costumam ‘roubar a cena’. Pensando nesse nicho de mercado, algumas empresas estão se dedicando exclusivamente para oferecer produtos e serviços específicos para elas. É o caso da Maria Amora.

Criada em fevereiro de 2009, a Maria Amora surgiu da necessidade de se ter um serviço diferenciado. “Tínhamos o interesse em empreender em um negócio próprio. Depois de pesquisarmos as possibilidades, decidimos pelo ramo de locação de vestidos para damas de honra. É um investimento de baixo risco, pois há na família o ‘know-how’ no ramo de vestuário de casamentos”, explica a fisioterapeuta Pollyanna Ramos, que, junto ao noivo e publicitário Eduardo Esperidião, resolveu investir no negócio.

Equipada com provadores, atelier de costura e lavanderia, a Maria Amora está localizada no Setor Marista, especificamente na Rua das Noivas, como é conhecida, e oferece tudo o que uma dama de honra precisa, como vestidos, acessórios de mão e cabelo, sapatos, meias e brincos. “Trabalhamos exclusivamente com damas de honra, por isso queremos que as noivas e mães das crianças venham à nossa loja e resolvam tudo de forma prática num mesmo local”, acrescenta Pollyanna. Pensando nessa mesma prática e com o intuito de atender a solicitação dos clientes, a Maria Amora passou a oferecer roupas para os pajens e convidadas – crianças que não são damas, mas são convidadas para o casamento.

Pollyanna comemora o número de atendimentos feitos por mês, que chega a 120 damas. Elas são atendidas por equipe multidisciplinar, formada por nove colaboradores, que ainda ajudam a tirar as dúvidas das mães, noivas e crianças. “As principais dúvidas que as clientes têm é se precisam colocar todas as damas com o mesmo modelo e cor de vestido, se a cor dos vestidos têm que combinar com a cor da decoração, se são elas que pagam os vestidos das damas”, lista.

A empresária diz que a vontade da noiva é sempre levada em consideração. Mas, ressalta, todas as dúvidas são respondidas de forma a orientar as noivas e mães a fazer o melhor na cerimônia. “Dizemos que tem que haver uma harmonia de cor com a decoração, não necessariamente ser da mesma cor, porque as damas não têm que fazer parte da decoração. A etiqueta diz que as noivas arcam com os custos, mas o que é mais comum aqui em nossa loja é que os pais da dama acertem os valores. As noivas oferecem um presente, que pode ser um buquê de jujubas ou marshmallow, o sapatinho etc”, acrescenta.

Geralmente, as noivas fazem a seleção dos modelos ao gosto delas, sem a presença das crianças que serão as damas. De acordo com Pollyanna, depois elas retornam com as damas (ou uma delas) para provar e escolher o modelo que mais gostam. Com o contrato fechado e marcada a data da prova, é feita a reserva dos vestidos e acessórios, encomendados os vestidos (se forem para primeira locação), sapatos, buquês, acessórios de cabelo para, no dia da entrega, estar tudo preparado. Os vestidos e acessórios locados são devolvidos à loja e, em seqüência, lavados, passados e devolvidos às araras, para que possam ser locados novamente. O preço da locação gira em torno de R$ 120 a R$ 1.000.

Negócio para sempre

O mercado de casamentos em Goiânia tem crescido mais de 4% ao ano, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em pesquisa realizada nos anos de 2007 e 2008. Com isso, o mercado de produtos e serviços voltados para esse público tem evoluído também nos últimos anos. Desde que foi criada, em 2009, Maria Amora têm percebido o aumento nas locações mês a mês, mapeando com isso as datas mais importantes, mais procuradas e menos importantes também.

Segundo Pollyanna, para abrir uma empresa como essa é preciso investir em estrutura física, produtos e capital de giro, o equivalente a R$ 200 mil. “É necessário ainda ter uma equipe coesa de profissionais que trabalha por um objetivo comum. “Em nosso caso, proporcionamos às crianças um dia de príncipe e princesa”. diz.

Outras características precisam ser observadas como treinamento do atendimento, conhecimento sobre tendências da área (tecidos, cortes, modelos), avaliação do que o cliente necessita, organização de pessoal, motivação para trabalhar com crianças, costura e objetos delicados, administração de investimentos, espaço físico adequado e bem localizado para o atendimento. “Além disso, é necessário estabelecer um poder de negociação com o cliente, pois oferecemos um serviço de locação e não temos preços tabelados. É preciso também de persistência e controle”, reforça.”

 

Anúncios